Informalidade cresce e Previdência perde mais de 1 milhão de contribuintes

em .

Em meio à incerteza que vive, a Previdência Social perdeu no ano passado 1,09 milhão de contribuintes. Os dados são do IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística), divulgados nesta quarta-feira, dia 31, com base na Pnad Contínua.
De 2016 para 2017, o total de trabalhadores com carteira assinada teve queda de 1,9%, passando de 59,2 milhões para 58,1 milhões de pessoas. Quanto à participação dos que contribuem à Previdência em relação ao total de ocupados, houve recuo de 65,5% em 2016 para 64,1% no ano passado.
Esses dados são reflexos do crescimento da informalidade no mercado de trabalho em detrimento dos empregos formais. É dessa forma que a taxa de desemprego vem caindo aos poucos no Brasil. No quarto trimestre de 2017, o desemprego fechou em 11,8%, ante 12,4% no trimestre encerrado em setembro. A taxa média anual em 2017 foi 12,7% e em 2016, de 11,5%. Em 2017, o Brasil perdeu 685.000 postos com carteira assinada, enquanto o número de trabalhadores sem carteira teve acréscimo de 598.000 e os trabalhadores por conta própria cresceram em 1,07 milhão de pessoas.
Segundo o IBGE, cerca de 1,4 milhão de trabalhadores deixaram de contribuir com a Previdência desde 2014, quando a economia brasileira começou a entrar em recessão, mas o movimento se intensificou no ano passado.
 

Fale Conosco

  • Sede Santo André
    Rua Gertrudes de Lima, 202 - Centro - Santo André
    Telefone: (11) 4993-8999 - Veja o Mapa

  • Sede Mauá
    Avenida Capitão João, 360 - Matriz - Mauá
    Telefone: (11) 4555-5500 - Veja o Mapa