A Campanha Salarial que prossegue

em .

A Campanha Salarial 2017, a mais complicada dos últimos tempos, ainda não terminou para milhares de trabalhadores. Mesmo com a menor taxa de inflação medida pelo INPC (Índice Nacional de Preços ao Consumidor) desde 1990, de apenas 1,83%, muitas empresas dificultam a negociação do reajuste salarial. Então, o que dirá da renovação das cláusulas sociais e de salvaguardas contra os efeitos da reforma trabalhista.

O quadro abaixo traz um resumo da situação em que se encontram as negociações da Campanha Salarial com os diferentes grupos patronais, divididos em três categorias: com acordos já fechados, negociações avançadas e sem acordo.

Sindicato negocia com empresas onde não houve acordo setorial

Naqueles grupos em que o acordo setorial já foi assinado, o Sindicato está negociando com as empresas onde for possível melhorar a aplicação do índice de reajuste, de 1,83%, ou o abono. Nada está fácil mas as discussões estão evoluindo.

Agora, a principal dificuldade é em relação aos grupos que não fecharam o acordo. O Grupo 10 é um caso à parte, pois há três anos seus representantes se negam a negociar e logo entram com pedido de dissídio coletivo na Justiça do Trabalho.

Na base do nosso Sindicato, o Sindicel é o que abrange o maior número de trabalhadores entre os que não fecharam acordo setorial. A esse sindicato patronal são vinculadas empresas como Paranapanema, Prysmian, Arconic e Novelis. As negociações do Sindicato com essas empresas se encontram em diferentes estágios.

Vencemos a primeira batalha com a renovação da convenção

Se 2017 é um ano que não termina porque os efeitos da reforma trabalhista vão ser sentidos de fato em 2018, o mesmo pode se dizer da Campanha Salarial. A nossa vitória com a renovação das cláusulas sociais por mais um ano foi a primeira batalha vencida. A partir de agora, o Sindicato e os trabalhadores precisam estar unidos como nunca em defesa dos nossos direitos.

Da nossa organização e luta vão depender a vitória sobre os efeitos nocivos da reforma trabalhista, ao longo de 2018 e depois, e as futuras conquistas.

Não fique só. Fique sócio!

Quadro geral da Campanha Salarial

Grupos e sindicatos patronais que já fecharam acordo: Fundição,
Sindipeças, Simefre-Sinafer, Sicetel-Siescomet, Sinien-Estamparia, Sindal e Sindratar

Negociações avançadas: Grupo 2 (Sindimaq e Sinaes) e Sianfesp

Grupos e sindicatos patronais que não fecharam acordo: Sindicel, Sindmotor e Grupo 10

Principais pontos de três convenções coletivas

Siniem - Estamparia (Convenção)

1) Reajuste Salarial:

1,83% em 01/08/2018 sobre salários de 31/10/2017

Teto R$ 8.419,88 – Fixo R$ 154,08

2) Abono – Total 15% - Sobre salário de 31/10/2017

5% a ser pago até 20/dez/2017

5% a ser pago até 20/fev/2018

5% a ser pago até 20/abr/2018

Teto: R$ 8.419,88

As empresas que optarem em conceder o reajuste salarial de 1,83% em 1/11/2017, ficam desobrigadas da concessão do abono.

3) Salário Normativo: A partir de 01/08/2018

Até 100 trabalhadores – R$ 1.361,07

De 101 a 350 – R$ 1.469,11

+ de 350 – R$ 1.685,14

Sindal (Convenção)

1) Reajuste Salarial:

1,83% a partir de 01/08/2018 sobre salários de 31/10/2017

Teto R$ 8.423,00 – Fixo R$ 154,14

2) Abono – Total 15% - Sobre sal. de 31/10/2017

5% a ser pago até 20/dez/2017

5% a ser pago até 20/fev/2018

5% a ser pago até 20/abr/2018

Teto: R$ 8.423,00

As empresas que optarem em conceder o reajuste salarial  de 1,83% em 1/11/2017, ficam desobrigadas da concessão do Abono.

3) Salário Normativo: A partir de 01/08/2018

Até 100 trabalhadores  – R$ 1.336,00

De 101 a 350 – R$ 1.473,00

+ de 350 – R$ 1.691,00

Sindratar (Convenção)

1) Reajuste Salarial:

1,83% em 01/08/2018 sobre salários de 31/10/2017

Teto R$ 8.618,00 – Fixo R$ 157,71

2) Abono – Total 15% - Sobre sal. de 31/10/2017

5% a ser pago até 20/dez/2017

5% a ser pago até 20/fev/2018

5% a ser pago até 20/abr/2018

Teto: R$ 8.618,00

As empresas que optarem em conceder o reajuste salarial de 1,83% em 1/11/2017 ficam desobrigadas da concessão do abono.

3) Salário Normativo: A partir de 01/08/2018

Até 100 trabalhadores  – R$ 1.346,69

De 101 a 350 – R$ 1.477,11

+ de 350 – R$ 1.719,51

Observação: o resumo das convenções coletivas do trabalho da Fundição, do Sindipeças, do Simefre-Sinafer e do Sicetel-Siescomet foi publicado na edição de 22 de novembro de 2017 do nosso jornal “O Metalúrgico”.

Cícero Martinha

Presidente licenciado do Sindicato dos Metalúrgicos de Santo André e Mauá

Osmar César Fernandes

Presidente em exercício do Sindicato dos Metalúrgicos de Santo André e Mauá

Fale Conosco

  • Sede Santo André
    Rua Gertrudes de Lima, 202 - Centro - Santo André
    Telefone: (11) 4993-8999 - Veja o Mapa

  • Sede Mauá
    Avenida Capitão João, 360 - Matriz - Mauá
    Telefone: (11) 4555-5500 - Veja o Mapa