2017 é um ano para não esquecer

em .

O aprendizado acumulado pelo movimento sindical no ano que finda será essencial para as nossas estratégias de luta em 2018 e nos anos seguintes. 2017 já começou com duas artilharias de grosso calibre mirando os trabalhadores: as reformas trabalhista e da Previdência. Isso em meio ao desemprego em nível elevadíssimo, economia em marcha lenta e crise política sem precedentes.

Conquistamos acordos salariais apesar das dificuldades

Nesse contexto, 2017 foi um ano muito difícil para a classe trabalhadora, com as ameaças de retirada de direitos vindo de tudo quanto era lado. Mesmo com todas essas dificuldades, vencemos muitas batalhas, em especial na Campanha Salarial com a renovação de todas as cláusulas sociais por mais um ano e a inclusão de salvaguardas contra os efeitos da reforma trabalhista na convenção coletiva do trabalho.

No total, fechamos nove acordos coletivos com grupos ou sindicatos patronais (veja quadro nesta página), abrangendo a grande maioria da nossa categoria. Em negociação direta com empresas, conseguimos ainda melhorar os itens econômicos (veja matéria na página 8) onde isso foi possível com a mobilização dos trabalhadores. E nos grupos patronais que não fecharam o acordo setorial, o Sindicato está negociando por empresa para que os trabalhadores não fiquem desprotegidos dos direitos previstos na convenção coletiva do trabalho.

Organização dos trabalhadores será cada vez mais decisiva

Para vencermos as batalhas, a organização na base foi fundamental. Ao longo do ano realizamos inúmeras assembleias nas fábricas e reuniões no Sindicato, e também participamos de mobilizações e protestos contra as reformas trabalhista e da Previdência na região do ABC, em São Paulo e em Brasília. Parte dessas ações está documentada nas páginas desta edição especial do nosso jornal “O Metalúrgico”.

Em 2018, a luta em defesa dos direitos será árdua. O governo anunciou para o dia 19 de fevereiro a votação da reforma da Previdência no plenário da Câmara dos Deputados. Em relação à reforma trabalhista, muitos patrões estão doidos para aplicar o que existe de pior na nova lei.

Então, cada vez mais a união dos trabalhadores com o Sindicato será muito importante. Só com o Sindicato fortalecido, com a sindicalização dos companheiros e companheiras, vamos fazer valer a máxima de que “A luta faz a lei”.

Em 2018 iremos às urnas para eleger presidente da República, governador, senadores, deputados federais e deputados estaduais. Podemos mudar o Brasil com o nosso voto, ao eleger candidatos que realmente pensem no Brasil mais justo, com desenvolvimento econômico e social.     

Desejamos que em 2018, com os trabalhadores e o Sindicato unidos, a nossa luta continue vitoriosa!

Quadro geral da Campanha Salarial

Grupos e sindicatos patronais que fecharam acordo: Fundição,
Sindipeças, Simefre-Sinafer, Sicetel-Siescomet, Sinien-Estamparia, Sindal, Sindratar, Grupo 2 (Sindimaq e Sinaes) e Sianfesp

Grupos e sindicatos patronais que não fecharam acordo: Sindicel, Sindmotor e Grupo 10

Desejamos a todos os companheiros e companheiras um Feliz Natal e Ano Novo com paz, saúde, felicidade e muitas realizações!

Cícero Martinha

Presidente licenciado do Sindicato dos Metalúrgicos de Santo André e Mauá

Osmar César Fernandes

Presidente em exercício do Sindicato dos Metalúrgicos de Santo André e Mauá

Fale Conosco

  • Sede Santo André
    Rua Gertrudes de Lima, 202 - Centro - Santo André
    Telefone: (11) 4993-8999 - Veja o Mapa

  • Sede Mauá
    Avenida Capitão João, 360 - Matriz - Mauá
    Telefone: (11) 4555-5500 - Veja o Mapa